RUÍNAS DO PAQUE

O geossíto Ruínas do Paque (Figura 5.54) foi uma praça de mineração cujo conjunto de estruturas remanescentes é uma preciosidade em termos arqueológicos, sendo composta por dois segmentos de aquedutos (aquedutos do Paque 1 e 2), tanques de decantação de material aurífero, galerias subterrâneas e ruínas de edificações, além de muros de arrimo em pedra-seca que criam patamares facilitando a ocupação da área. A encosta no local é bastante íngreme e demandou muita perícia para construção da infraestrutura mineradora existente.

As estruturas cadastradas sugerem atividades de manejo de águas pluviais, lavra em galerias subterrâneas e beneficiamento em tanques de decantação. Existem diversas trilhas que interligam as estruturas remanescentes da mineração entre si. A denominação do sítio se deve a um morador do bairro São Cristóvão, cujo apelido é Paque, que ocupou durante anos uma antiga edificação existente no local.

RUÍNAS DO PARQUE:

MINA DU VELOSO

A Mina Du Veloso é um belo exemplar da genialidade africana nos trabalhos em busca do ouro séculos XVIII e XIX na antiga Vila Rica, hoje Ouro Preto – MG. Nela podemos identificar e vivenciar diversos aspectos técnicos e culturais da exploração do ouro no período colonial.

São mais de 400 metros de galerias interligando câmaras (salões) com pilares de sustentação do teto. Durante todo trajeto há marcas dos trabalhos feitos pelos mineradores africanos sequestrados e trazidos ao Brasil forçadamente para o regime de trabalho escravo.

A visita à Mina é feita por um guia experiente que mostra e explica cada detalhe do lugar, exaltando os costumes e o dia-a-dia desses trabalhadores africanos nas áreas de mineração. Somam-se ainda as particularidades da sociedade e economia que vigoravam em Ouro Preto, antiga Vila Rica, bem como a geologia da região. O guia também destaca os reflexos desse período da história brasileira nos dias atuais para, a partir disso, provocar reflexões sobre temas como raça, etnia, identidade, trabalho, exploração e empoderamento.

O passeio dentro da Mina Du Veloso é nitidamente uma imersão sensorial na história e na cultura do trabalhador africano, com a oportunidade de ressignificar aquilo que é contado sobre os nossos antepassados.

A Mina conta ainda com palestras, apresentações culturais e trilhas externas especialmente para grupos, com ênfase no turismo pedagógico, onde falamos transversalmente dos temas ligados ao ciclo do ouro. Vale sublinhar que a Mina Du Veloso oferece WI-FI, banheiros, lanchonete, som ambiente, além de um aconchegante espaço temático para eventos. Durante o trajeto os visitantes utilizam equipamentos de segurança como toucas e capacetes. ACESSE AQUI O SITE DA MINA DU VELO E VEJA MAIS!

Mina du Veloso

 

Tenha uma visão aérea da Mina du Veloso:


ALTO DO XÉU